O Legado das Águas

O Legado das águas é uma iniciativa inovadora por colocar em prática ações que contribuem para o desenvolvimento da região onde está inserido, envolvendo a população local e os municípios na manutenção da floresta em pé. Obteve a parceria do Governo do Estado de São Paulo para realização desses objetivos, por meio de um protocolo de intenções e, como resultado, gerou um legado positivo para a sociedade, por meio das atividades de pesquisa, educação ambiental e ecoturismo, além de possibilidades de negócios a partir dos recursos ambientais ali presentes.

História

Não havia melhor maneira de proteger as águas do Rio Juquiá, que cortam o Vale do Ribeira, do que comprar e proteger a maior área florestal possível às suas margens. Essa foi a decisão da Votorantim há mais de 50 anos, quando iniciou a construção das usinas hidrelétricas com a finalidade de possibilitar a ampliação da produção de alumínio.

Ao longo do tempo, entre as décadas de 1920 e 1950, uma série de propriedades de mata fechada foi adquirida no entorno do complexo energético da companhia, somando milhares de hectares.

Em 2012, esse território, raro e em estágio avançado de conservação, foi institucionalizado como Legado das Águas, por meio de uma parceria com o Governo do Estado de São Paulo. Desde então, a Votorantim firmou um protocolo, onde se compromete a proteger a área que forma o Legado das Águas. Entre os termos firmados no acordo, está a proposta de gestão compartilhada, facilitando os avanços em estudos científicos, educação ambiental, uso público, proteção de espécies ameaçadas de extinção e desenvolvimento socioeconômico da região.

RELATÓRIOS

capa-relatorio-2107-br

Relatório Legado das Águas – 2017

PORTUGUÊS   |   INGLÊS

capa-relatorio-2106-br

Relatório Legado das Águas – 2016

PORTUGUÊS   |   INGLÊS

capa-relatorio-2015-br

Relatório Legado das Águas – 2015

PORTUGUÊS 

Todas as Imagens
Fauna
Flora

As Usinas

Na década de 50, sob a direção de José Ermírio de Moraes, a Votorantim adentrou no setor de energia, na região do complexo hídrico do rio Juquiá. Com a fundação e o crescimento da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), a necessidade em se obter energia fez com que o Grupo passasse a construir e manter usinas hidrelétricas próprias nesse complexo. Além de construir as usinas, a Votorantim comprou as terras ao redor dos reservatórios, garantindo assim sua disponibilidade hídrica. Uma atitude de vanguarda na história da indústria brasileira.

A Mata Atlântica

A Mata Atlântica é dos biomas mais ricos em biodiversidade no planeta e também um dos mais ameaçados. Nos dias atuais, restam aproximadamente 8,5% de remanescentes florestais originais acima de 100 hectares. Somados todos os fragmentos de floresta nativa acima de 3 hectares, temos atualmente 12,5%.

O bioma é o mais rico em biodiversidade do planeta. A fauna endêmica é formada principalmente por anfíbios, mamíferos e aves das mais diversas espécies. É uma das áreas mais sujeitas à precipitação no Brasil. A biodiversidade da Mata Atlântica é semelhante à da Amazônia e há subdivisões do bioma em diversos ecossistemas devido a variações de latitude e altitude.

Da flora, 55% das espécies arbóreas e 40% das não arbóreas são endêmicas, ou seja, só existem na Mata Atlântica. Das bromélias, 70% são nativas dessa formação vegetal, e das palmeiras, 64%. Estima-se que 8 mil espécies vegetais sejam restritas a esse bioma.

Observa-se também que 39% dos mamíferos dessa floresta são endêmicos, inclusive mais de 15% dos primatas, como o mico-leão-dourado, assim como 160 espécies de aves e 183 de anfíbios.

Em geral a Mata Atlântica detém cerca de 20 mil espécies vegetais e recordes de quantidade de espécies e endemismo em vários outros grupos de plantas. Para ter uma ideia do que isso representa, em toda a América do Norte são estimadas 17.000 espécies existentes, na Europa cerca de 12.500 e, na África, entre 40.000 e 45.000.

Fontes: IBF e SOS Mata Atlântica

Um legado para o Vale do Ribeira

Localizado no Vale do Ribeira, sul do Estado de São Paulo, entre os municípios de Juquiá, Miracatu e Tapiraí, está o Legado das Águas, maior reserva privadas de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR).

Essa imensa área, com aproximadamente 31 mil hectares, tornou-se a maior reserva privada de Mata Atlântica do Brasil. Mais do que um escudo natural para o recurso hídrico, trata-se de um território raro e em estágio avançado de conservação. Á área é contigua ao Parque Estadual do Jurupará e a outras unidades de conservação, formando um extenso e importante corredor ecológico entre o interior e o litoral do Estado.

A riqueza da fauna e flora do Legado das Águas possibilitam o desenvolvimento de pesquisas nas mais diferentes áreas. Dentro da área, mais de 50 parceiros realizam projetos e geram informações e conhecimento público sobre a Mata Atlântica, o bioma com a maior biodiversidade do planeta, e ao mesmo tempo, o mais ameaçado.

Já foram identificadas mais de 765 espécies de plantas, além de animais, que indicam o alto grau de conservação ambiental da Reserva, como o macaco-muriqui – o maior macaco das Américas – a onça-parda, o cachorro-vinagre e a raríssima anta albina, única encontrada em seu ambiente natural no mundo.

DESENVOLVIMENTO LOCAL

Desde 2014, o Legado das Águas formalizou parcerias com as prefeituras de Juquiá, Miracatu e Tapiraí, por meio do Instituto Votorantim, para desenvolver um trabalho conjunto destinado ao desenvolvimento econômico local e à conservação da mata e da bacia do Rio Juquiá, onde está localizado.

POLO DE EDUCAÇÃO

A maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com 75% da área em excelente estado de conservação, é um laboratório ao ar livre. Oferece possibilidade de aulas de campo em ambiente altamente conservado, habitat de espécies raras e ameaçadas de extinção, lugar ideal para estudantes de graduações que necessitam do contato com florestas, alunos de ensino fundamental e médio para estudo do meio, e instituições públicas e privadas que buscam realizar cursos em ambientes inseridos na natureza.

CENTRO DE PESQUISAS

O Legado das Águas tem como um de seus objetivos de atuação, contribuir e promover atividades de pesquisa científica e monitoramento ambiental, visando a educação e interpretação das espécies e do bioma Mata Atlântica, além de realizar a manutenção da qualidade das águas. Busca ainda, conservar e valorizar os ecossistemas e a biodiversidade.

A Reserva possui parcerias com importantes universidades como ESALQ/USP (Piracicaba), Unicamp (Campinas) e USP (Capital); e instituições reconhecidas na área ambiental, como: Conservação Internacional (CI), ONG que atua em diversos países e que, no Legado, está desenvolvendo o Plano de Gestão Estratégica; a Associação Pro-Muriqui, dedicada a estudar o macaco-muriqui, que é o maior primata das Américas; e o Instituto Pró-Carnívoros, que desenvolve pesquisas sobre as onças e outros carnívoros. O objetivo é tornar a Reserva um polo de desenvolvimento sustentável e pesquisa científica.

Há pesquisas sobre anfíbios e répteis, antas, onças, avifauna, biotecnologia, orquídeas, borboletas, além de Restauração Ecológica, Paisagismo Ornamental e a existência de estúdios fotográficos camuflados na mata para captar a vida selvagem.

VIVEIRO DE MUDAS DA MATA ATLÂNTICA

O viveiro do Legado das Águas produz 200 mil mudas/ano e possui tecnologia que permite a produção de uma ampla variedade de espécies, inclusive as raras de serem encontradas no mercado.  O viveiro fornece projetos ou mudas de recomposição florestal em Mata Atlântica; projetos ou mudas da Mata Atlântica para paisagismos inovadores que, em edificações, contribuam para certificações de sustentabilidade, além de parcerias para reflorestamento de centros urbanos.

COMPENSAÇÃO DE RESERVA LEGAL

O Legado das Águas disponibiliza áreas para compensação a proprietários rurais e outros interessados que possuam déficit de Reserva Legal por meio de um modelo inovador: o arrendamento de Reserva Legal com garantia de gestão patrimonial e manutenção da floresta. Com pagamento anual, dedutível do Imposto de Renda, essa é uma opção diferenciada em relação às tradicionais de compensação via aquisição de áreas.

ATIVIDADES DE ECOTURISMO

O Legado das Águas oferece atividades e cursos que proporcionam aos visitantes, além da diversão, uma vivência diferente na Mata Atlântica. Todas as atividades são oferecidas por empresas parceiras e, sendo assim, o processo de inscrição, dúvidas, pagamento e logística serão diretamente com elas. Há opções como canoagem, bike e observação de aves, além da realização de turismo cientifico e cursos. “Desenvolveremos as atividades com grupos pré-definidos, pois o Legado das Águas não é um parque, é uma reserva focada em conservação. Haverá número limitado de participantes por atividade para que possamos receber o púbico com responsabilidade”, afirma Frineia Rezende, gerente de Sustentabilidade da Reservas Votorantim.

Os cuidados são diversos para permitir que mais pessoas, de maneira ordenada e sem impacto negativo, acessem o Legado das Águas para vivenciarem o que é estar em uma Mata Atlântica num estágio avançado de conservação.

Nossas Publicações

Acreditamos no poder da educação como ferramenta para a conservação do bioma Mata Atlântica. Abaixo algumas de nossas publicações de nossa autoria ou que apoiamos visando fomentar temas de relevância a proteção da Fauna e Flora.

capa-sustentabilidade-reserva

A Sustentabilidade de uma Reserva

A publicação conta a história do Legado das Águas, desde 1920, quando Antônio Ermírio de Moraes iniciou a compra de terras para o negócio de geração de energia, até 2014, quando inúmeros avanços e descobertas foram realizadas, a partir dos projetos de pesquisas, como o registro da primeira anta albina em habitat natural no mundo, e uma série de outras espécies como a Onça-parda, Muriqui-do-Sul, Cachorro-Vinagre entre outros.

Para conhecer mais sobre a nossa história, clique aqui e acesse a versão digital do nosso livro A Sustentabilidade de uma Reserva.

capa-guia

Guia ilustrado para identificação de plantas da Mata Atlântica

A publicação visa servir de guia para identificação de espécies vegetais ocorrentes na floresta ombrófila densa, tendo como cenário o Legado das Águas – Reserva Votorantim. O livro é uma importante contribuição para o estudo da botânica.

capa-restaura

Restauração Florestal

O livro fornece diretrizes conceituais e práticas para definir e implantar as ações de restauração mais adequadas em termos ecológicos, operacionais e de custos, seguindo a legislação ambiental brasileira. Integra com visão multidisciplinar e pertinência diversas disciplinas incluídas em engenharia agrônoma, florestal e ambiental, bem momo biologia, geografia e gestão ambiental.

capa-aves

Aves do Brasil – Mata Atlântica do Sudeste

Segundo volume da série Aves do Brasil, da Widlife Conservations Society, aborda os ambientes da Mata Atlântica do sudeste do país, uma região rica em aves e habitada pela maioria da população brasileira. O livro traz ilustrações e textos individuais para quase todas as espécies residentes ou migrante regulares, e inclui também as aves errantes e oceânicas de avistamento mais provável.

Mapa da Reserva

O Vale do Ribeira é considerado um Patrimônio Natural da Humanidade, localizado na região da Serra do Mar, ao sul do Estado de São Paulo. Também representa a maior área contínua de floresta remanescente deste bioma, com pouca intervenção humana. Neste cenário encontramos o Legado das Águas, a 2 horas da maior metrópole brasileira.

img-mapa

Digite algum termo e pressione enter para pesquisar

X