In SALA DE IMPRENSA

O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, acaba de lançar a atividade de travessia, que possibilitará ao público percorrer trilhas de longa distância em meio à rica Mata Atlântica. Entusiastas, praticantes de turismo de aventura e interessados em geral poderão percorrer as duas opções de trilhas em um cenário único.

“A travessia do Legado das Águas que integrará o “Caminho da Mata Atlântica”, trará a possibilidade de visitantes acessarem trechos de floresta nativa, em uma atividade que envolve esporte, lazer e integração com a natureza”, afirma Willian Mendes de Souza, analista de ecoturismo do Legado das Águas.

A iniciativa, que conta com parceria do Instituto Manacá, é uma opção de ecoturismo na reserva onde acontecem outras atividades que proporcionam aos visitantes diferentes experiências na Mata Atlântica, como o caiaque no Rio Juquiá, os passeios de bike e o Legado Experience – dia de vivência para conhecer a Trilha do Cambuci, o Viveiro de Mudas e passear de barco no Rio Juquiá.

Trajetos – A travessia “Dezembro – Cantagalo” tem duas opções de trajeto: a volta menor e a volta maior, cada uma com características peculiares para atender a diferentes perfis de visitantes. Ambos atrativos atravessam trechos de floresta em estágio avançado de conservação. Os dois itinerários passam pela Cachoeira Dezembro, logo em seus quilômetros iniciais, onde há local para belas fotos e, mais adiante, poços para banho.

A volta menor possui 12 quilômetros de extensão, com menor grau de dificuldade, passando por trechos com menos declividade, em área com muitos córregos de água. O trajeto começa na trilha Dezembro, saindo diretamente na metade de outra trilha, a Canta Galo.

Na volta maior, são aproximadamente 23 quilômetros com um grau de dificuldade mais elevado, em trechos de acentuado declividade, entre diversos topos de morros. Iniciada na trilha Dezembro, a caminhada chega aos limites do Legado das Águas e percorre o divisor até a trilha Canta Galo. Nesse passeio, haverá a possibilidade de pernoite no local, em acampamento.

Todos os participantes serão acompanhados por guias – alguns deles moradores da região, que passaram por capacitação para atuarem como condutores de caminhada. A equipe também terá kits de primeiros socorros e contato permanente com a base da Reserva, com estrutura adequada para atendimento de emergências.

“As travessias são uma das primeiras e mais eficientes ferramentas de conservação, ao promoverem a conexão entre Unidades de Conservação e reservas privadas, como o Legado e outras áreas protegidas”, afirma Pietro Scarascia, do Instituto Manacá, que trabalhou diretamente na implantação das trilhas e destacou a preocupação constante em criar o percurso com respeito ao meio.

“Ao saber do cuidado com a conservação da área que o Legado das Águas pratica, o desenho dos percursos para a travessia lançou mão de trilhas já existentes. Dessa forma, trilhas antigas de monitoramento ambiental foram conectadas de forma a compor um único itinerário. Dentro desse roteiro, pontos de maior sensibilidade foram mapeados para monitoramento. Se observarmos impactos significativos, serão propostas novas instalações de estruturas, de forma a promover a sustentabilidade do atrativo”, conclui Pietro.

Caminhos da Mata Atlântica: será a primeira trilha brasileira com mais de 3.000 Km, começando no Parque Nacional dos Aparados da Serra (RS) e chegando até o Parque Estadual do Desengano (RJ). A ideia é interligar diversas trilhas importantes já existentes, fortalecendo e disseminando iniciativas locais. A grande trilha cruzará mais de 60 áreas protegidas, incluindo 10 Parques Nacionais e 32 Estaduais, formando um grande corredor e promovendo o ecoturismo, a geração de renda para comunidades locais e a conservação das áreas protegidas. O Caminho da Mata Atlântica é uma iniciativa do Borandá, movimento social fomentado pelo WWF-Brasil que conta com muitos parceiros, entre órgãos gestores de Unidades de Conservação, clubes de montanhismo e organizações da sociedade civil.

Os valores das travessias no Legado das Águas variam, com média de R$480,00 por pessoa – podendo ser maior ou menor o valor, a depender do desafio escolhido, o número de pessoas por grupo e as comodidades desejadas. Será disponibilizado para locação equipamentos individuais como mochilas cargueiras e de ataque, sacos de dormir, isolantes térmicos, bastões de caminhada, head-lamps e anoraques, abrindo as possibilidades para quem quer praticar a atividade, mas ainda não tem todos os itens necessários. Os equipamentos coletivos, como barraca, fogareiro e alimentação estarão inclusos em determinados pacotes. Para comprar ingressos, basta acessar www.legadodasaguas.com.br/travessia

Sobre o Legado das Águas – Reserva Votorantim

O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local, com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas.

Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.

Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável.

Digite algum termo e pressione enter para pesquisar

X